segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Vigilantes lançam campanha pelo Piso Nacional de R$ 3.000 no Estado do Rio

Os vigilantes do Estado do Rio de Janeiro lançaram no último sábado (13), em Niterói, a campanha pelo Piso Nacional de R$ 3.000 para a categoria. O encontro aconteceu na Câmara de Vereadores e contou com a presença do presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV), José Boaventura, da vereadora de Niterói , Verônica Lima (PT), do vereador de São Gonçalo, José Carlos Vicente, de dirigentes dos sindicatos de Barueri (SP), Goiânia (GO), Distrito Federal, Mesquita e Nilópolis, Itaguaí e Seropédica e Itaperuna, Sindicato dos Bancários de Niterói e dezenas de trabalhadores. O ato foi organizado pela CNTV e os Sindicatos dos Vigilantes de Niterói e região, Petrópolis e região e Duque de Caxias.

No evento foram discutidos os rumos da categoria e os próximos passos para a mobilização em torno da campanha pelo piso unificado. Uma moção foi aprovada pelo plenário como apoio dos vigilantes do Estado do Rio de Janeiro ao Piso Nacional dos Vigilantes.

Caravanas de diversas cidades tomaram o as galerias da Casa Legislativa como: Petrópolis, Duque de Caxias, Niterói, São Gonçalo, além de vários vigilantes da cidade do Rio de Janeiro e de outros municípios da Baixada Fluminense.

Piso Unificado de R$ 3.000

O valor de R$ 3 mil está inserido no plano de lutas de confederações e sindicatos e leva em consideração estudo do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos,) desgaste físico e mental resultado da atividade desenvolvida, entre outros fatores que apontam o valor como o mínimo justo para a categoria.




Os Sindicatos convocam a categoria a se mobilizar pela aprovação do Projeto de Lei 4238/2012 do Senador Marcelo Crivela (RJ). O PL apresentado pelo Senador em 2012 foi aprovado no Senado com uma proposta de três pisos (de acordo com o grau de risco – máximo, médio e mínimo, nos valores de R$ 1.100, 950 e 800, respectivamente). Agora está na Câmara dos Deputados, que constituiu em maio último uma Comissão Especial. No dia 10 de junho a Comissão realizou uma audiência publica, com a nossa presença e a dos patrões. Os sindicatos defendem um piso único sem distinção de grau de risco. Os patrões até disseram já concordar com um piso nacional e único (sem variação de grau de risco), ficando o valor para a negociação na Câmara.

WMC Assessoria de Comunicação





segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Agora é a vez do Rio de Janeiro! Lançamento da Campanha pelo Piso Nacional de R$ 3 mil para os Vigilantes! Você é nosso convidado!


OS SINDICATOS DE VIGILANTES DE NITERÓI, SÃO GONÇALO E REGIÕES (SVNIT), PETRÓPOLIS E REGIÕES E DE DUQUE DE CAXIAS, FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS VIGILANTES (FEVIG) E A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS VIGILANTES (CNTV) CONVIDAM:

Todos os Vigilantes para participar do Ato de Lançamento do Piso Nacional dos Vigilantes que será realizado no dia 13/09/14 em Niterói na Câmara de Vereadores de Niterói, endereço Av. Ernani do Amaral Peixoto 625 Centro de Niteroi.
 
Contamos com a presença de todos os Vigilantes para que possamos dar mais uma partida em grande estilo para mais uma vitória como foi a luta pelos 30% DE PERICULOSIDADE.
 
Já temos confirmado a presença de alguns Vigilantes de Outros Estados e dos Sindicatos de Vigilantes de Nilópolis e Mesquita, Sindicato de Itaguaí e Seropédica e o Sindesverj.



quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Presidente nacional da UGT declara apoio ao Piso Nacional dos Vigilantes

"Nos últimos anos, o Brasil conquistou importantes avanços sociais e políticos, contudo o País ainda peca em questões como: a melhoria na distribuição de renda e valorização da classe trabalhadora.

A luta dos trabalhadores e trabalhadoras do setor de vigilância, pela implantação de um piso nacional no valor de R$ 3 mil, reflete o reconhecimento profissional e a melhoria a qualidade de vida da categoria que, cumpre um papel fundamental na nossa sociedade. Quando a classe trabalhadora é valorizada, o País inteiro ganha.

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) apoia incondicionalmente a Campanha pelo Piso nacional, iniciada em junho passado pela Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV). Essa é uma reivindicação justa para essa categoria de profissionais que estão sempre colocando sua vida em risco.

Nós da UGT estamos juntos nesta luta com os trabalhadores vigilantes para assegurar essa importante conquista."


Ricardo Patah – presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT)

Sindicatos se reúnem com vice de Crivela no Rio para debater Piso Nacional dos Vigilantes

A luta pelo Piso Nacional dos Vigilantes já está a todo vapor também no Estado do Rio. Nesta quarta-feira (03), o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Duque de Caxias,Carlos Gil, acompanhado do presidente de Niterói, São Gonçalo e região, Cláudio Vigilante, e Petrópolis e região, Adriano Linhares, além do vice-presidente do SVNIT, Paulo Henrique, se reuniram com General José Alberto da Costa Abreu, candidato a vice-governador do Rio na chapa de Marcelo Crivela.

O objetivo do encontro foi apresentar ao Senador Crivela, que é autor do Projeto de Lei 4238/2012 que tramita no Congresso Nacional e versa sobre o piso da categoria, porém dividido em três níveis de profissionais, a necessidade de um único piso unificado de R$ 3.000 conforme campanha lançada pela Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e sindicatos e federações filiadas.

Diante da demanda apresentada pelos dirigentes sindicais, o General se comprometeu a levar o assunto ao conhecimento do Senador para análise da proposta da categoria. Um novo encontro deve ser agendado para os próximos dias diretamente com Crivela.

O PL apresentado pelo Senador em 2012 foi aprovado no Senado com uma proposta de três pisos (de acordo com o grau de risco – máximo, médio e mínimo, nos valores de R$ 1.100, 950 e 800, respectivamente). Agora, está na Câmara dos Deputados que constituiu em maio último uma Comissão Especial. No dia 10 de junho a Comissão realizou uma audiência publica, com a nossa presença e a dos patrões. Os patrões até disseram já concordar com um piso nacional e único (sem variação de grau de risco), ficando o valor para a negociação na Câmara.

A CNTV e Sindicatos de luta, de pronto, apresentaram a proposta de R$ 3.000, baseado no estudo do Dieese, que aponta este valor como mínimo ideal e em Congressos da categoria. O Presidente desta Comissão Especial é um Deputado patrão de Sergipe, mas o Relator (o cargo mais importante neste tipo de comissão) o Deputado NELSON PELEGRINO (PT/BA) tem fortes ligações com os vigilantes, pois já foi advogado do Sindicato da categoria na Bahia e se propôs a mediar esta negociação entre empregada x patrão na Comissão.

Willian Chaves - Imprensa Sindical RJ

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Em reunião com a Superintendência Regional do Trabalho, Sindicato dos Vigilantes de Petrópolis reivindica melhorias para trabalhadores

Diversos problemas enfrentados por trabalhadores de Petrópolis (RJ) foram tema de reunião com o superintendente da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro (SRTE/RJ), Antônio Henrique Albuquerque Filho na quarta-feira (27). O secretário de Relações Internacionais da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e presidente do Sindicato dos Vigilantes de Petrópolis e Regiões, Adriano Linhares, participou do debate para defender os interesses da categoria.

O principal problema relatado ao superintendente foi o quadro enxuto de servidores para o atendimento à Gerência Regional do Trabalho de Petrópolis (GRT). Segundo Linhares, existe deficiência de fiscais para atender à demanda dos dez municípios pertencentes à região: Três Rios, Paraíba do Sul, Comendador Levy Gasparian, Sapucaia, Miguel Pereira, Paty do Alferes, São José do Vale do Rio Preto e Areal. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) são 144 mil CNPJs, inviabilizando assim a fiscalização de irregularidades.

Há também a falta de um médico do trabalho. “O que havia está afastado por problemas de saúde e não deve retornar, pois está muito perto de se aposentar”, informou Antônio Henrique.

Atualmente, um agendamento de mesa redonda para debater sobre os problemas leva até cinco meses. “O superintendente nos informou que já tinha ciência dos fatos e que, dentro de um prazo curto, disponibilizará fiscais, auditores do trabalho e médico do trabalho”, comunicou Linhares. Segundo Linhares, em breve o superintendente deve ir até Petrópolis para uma reunião com todo o movimento sindical dentro da GRT.

Também participaram da reunião representantes do Sindicato dos Lapidários, Sindicato dos Porteiros, Sindicato Dos Bancários, Sindicato dos Têxteis, Sindicato da Alimentação, Sindicato dos Metalúrgicos, Sindicato da Construção Civil e Imobiliária, Sindicato da Saúde, Sindicato dos comerciários e Sindicato das Indústrias de vestuários.


Fonte: CNTV

Plebiscito Constituinte em Petrópolis. Participe!

Regras claras e justas são fundamentais para que os nossos representantes no governo, exerçam de forma legítima e efetiva o seu papel, por isso a reforma de preferência feita através de uma Assembleia Constituinte própria, é fundamental para preencher as lacunas que ficaram sem regulamentação em 1988.

A reforma do sistema político é necessária para avançar na conquista da democracia, da soberania e das necessidades de todos os setores oprimidos. O Brasil necessita de reformas estruturais que mudem o papel de suas instituições criando uma nova institucionalidade e que avancem na democratização.

Em Petrópolis, o SindBancários junto com o Movimento Sindical, disponibilizará dos dias 02 a 05 de setembro, uma urna fixa em sua sede das 09h às 18h (R. Mal. Deodoro, 209 salas 207/210) e urnas itinerantes, para a promoção e participação popular de toda à sociedade.

O objetivo é recolher votos da população para a instalação de uma assembléia nacional constituinte para mudar o sistema político, respondendo a seguinte pergunta: “Você é a favor de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?”(X) SIM ou ( )NÃO.

Você também pode votar pela internet, no seguinte endereço eletrônico:

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

BBC: Empresa de Pernambuco tem autorização cancelada

A Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV), representada pelo secretário-geral da entidade, Cláudio José, votou pela conversão da pena proposta pela Polícia Federal à empresa BBC Serviços de Vigilância Ltda. de Pernambuco nesta quarta-feira (20), na 102ª reunião da CCASP. A proposta da CNTV foi para que a pena de cancelamento fosse convertida para multa pecuniária de 2.500 UFIRs (Unidade Fiscal de Referência) preservando, desta forma, quase 2 mil empregos de vigilantes.

O processo havia sido retirado para vistas pela CNTV na reunião anterior e foi colocado em votação novamente nesta quarta-feira. A CNTV apresentou o púnico voto contrário ao cancelamento e a favor da conversão de pena.

“O voto da CNTV neste processo da BBC de Pernambuco buscou defender os trabalhadores da empresa. Nosso entendimento é de que a empresa errou, deveria ser punida e por este motivo propusemos a multa. Acreditamos firmemente que a categoria não pode ser penalizada pela ação criminosa dos patrões e, neste caso, só quem perde são os vigilantes” ponderou Cláudio.         

Entenda o caso

A BBC Serviços de Vigilância Ltda. demitiu 10 vigilantes e, após as formalidades de praxe, compareceram vigilantes e prepostos à sede do Sindicato dos Vigilantes de Pernambuco no dia 20 de janeiro de 2011 para realizar a homologação das rescisões. Na saída, um destes trabalhadores foi coagido para que devolvesse os valores recebidos na ocasião.

A CNTV entende que a falta foi grave e defende que a empresa seja punida, inclusivo com a prisão dos responsáveis. “Acontece que, com o cancelamento, quem perde são quase 2 mil trabalhadores”, esclareceu Cláudio.

Na mesma reunião que votou pelo cancelamento da empresa, outras 53 receberam a mesma punição e um processo foi retirado de pauta para vistas pela Abrevis e CNTV.


Fonte: CNTV